Quarta-feira, 16 de Fevereiro de 2011

Para ti

...e lembra-me também no teu sentir e no teu sonhar... lembra-me como uma carícia infinda, pois é assim que eu te vou lembrar... devagarinho e suavemente até o tempo consentir.

 

 

 

 

P.S. - Não te zangues. Depois da longa carta que te escrevi ainda ficaram algumas coisas por dizer, acho que acontece muitas vezes. Lê-a com toda a atenção, faz as paragens certas nas vírgulas, nas reticências e em cada ponto final. Tudo o que escrevi foram sentimentos  em forma de palavras adormecidas... aquelas que gostaria de te ter dito no passado. Absorve cada uma delas e cada frase também... ainda te lembras da minha letra?

Depois de a leres com toda a meiguice, se fores capaz, guarda-a no baú das tuas memórias, talvez um dia possamos falar sobre ela.

Sabes? Tenho um blog. Quem diria, logo eu, a escrever para quem quiser ler. Reptos foi o nome que lhe dei à nascença pois desde o início achei que cada post que fazia era um desafio. Se fores lá espreitar, verás debaixo do título uma das minhas frases favoritas  e que acabaste de ler no final da carta que tens nas mãos. Inspirei-me em ti.

Também tu tens um, soube-o por mero acaso do destino. De vez em quando vou lá perscrutar os teus desabafos, é superior a mim, nada posso fazer. Escreves bem, já alguém te disse?

Vou terminar, não te impacientes. Parece que te estou a imaginar "Com tanta lamechice ainda fico enjoado".

Só mais uma coisa e é a última, prometo.

Com tantas palavras escritas acabei por não te dizer o que sinto ou não sinto por ti, se te amo ou nem por isso.

Olha, meu querido, nem eu própria sei, apenas sei que o meu coração inquieto vai deambulando por aí, por  vezes longe, algures onde o amor e a ternura se confundem.

É mesmo o fim.

 

 Texto escrito para a Fábrica de Histórias

 


escrito por ónix às 21:01
| comentar
24 comentários:
De viajanteintemporal a 16 de Fevereiro de 2011 às 23:16
Bonito.
Gostei. Vejo que estás na tua máxima força em termos de escrita. Fico muito contente por isso.
Espero que esteja tudo bem contigo.
Beijinhos


De ónix a 17 de Fevereiro de 2011 às 00:03
Olá viajante
Contente fico por gostares e continuares a passar por aqui.
Já sei que continuas a recuperar. Logo,logo ficas bom ,vais ver.
Beijinhos grandes


De averse a 16 de Fevereiro de 2011 às 23:38
excelente... como sempre aliás!
dá gosto ler o que escreves


De ónix a 17 de Fevereiro de 2011 às 00:05
E agora digo eu..." vindo de alguém que escreve como tu" isto também é um elogio. Tenho de ir espreitar o teu blog... sabes que gosto do que escreves. Por vezes o tempo atraiçoa, ou melhor, a falta dele.
Obrigada


De Raquel a 17 de Fevereiro de 2011 às 13:08
Fica sempre algo por dizer... Será que existe um tempo para dizer o que se quer? Será que queremos que acabe aquilo que temos a dizer? E quando não se diz? Quando se deixa o silêncio invadir as nossas vidas? Sente-se no peito esta dor muito tempo?

Tudo perguntas sem resposta.

Este teu fictício encaixa quase perfeitamente na minha realidade.


De ónix a 17 de Fevereiro de 2011 às 23:36
É a realidade de muitas pessoas e quem já passou por situação idêntica depara-se com as tais perguntas para as quais não há resposta. Só o tempo vai atenuando... e olha que faz milagres.
Beijinhos


De SDaVeiga a 19 de Fevereiro de 2011 às 23:07
Se a inspiração veio daí... então ainda bem!

Muito bonito!


De ónix a 21 de Fevereiro de 2011 às 22:30
Obrigada por me continuares a ler... não consigo comentar os teus posts. Gostaria de deixar uma palavrinha mas já tentei e efectivamente não dá para deixar comentário.


De SDaVeiga a 27 de Fevereiro de 2011 às 23:57
Andei a fazer umas alterações nisso, por isso, quando quiseres, experimenta outra vez.
Boa semana!


De Natacha a 20 de Fevereiro de 2011 às 22:14
Ónix,

... por vezes os fins são necessários, muitas vezes são mesmo o que marca um ponto de viragem que nos faz ter força para recomeçar... Difícil!? Sim... um final nunca é fácil, mas muitas vezes inevitável :)

Fica bem


De ónix a 21 de Fevereiro de 2011 às 22:34
Com toda a certeza... e os sorrisos sucedem ao final, não é verdade?
Beijinhos


De Ametista a 21 de Fevereiro de 2011 às 18:26
Belo o teu p.s... que dizer mais, para além de que é tão bom ler-te.. as tuas palavras doces, tão cheias de ternura, acalentam a alma.. é tudo tão suave..

@doro.ti, manuska


De ónix a 21 de Fevereiro de 2011 às 22:36
Olá mana
Ena... tanto elogio. Olha que fico assim
Eu sei que gostas de me ler... também eu adoro a tua escrita. Única, não é verdade?
Abraço


De Closet a 21 de Fevereiro de 2011 às 23:12
«mas o que sentes?o que sentes?» é a pergunta mais difícil de responder... há uma incompreensão enorme entre o sentir e o racionalizar... porquê? para quê? por vezes também assumo sem rodeios "nem eu própria sei", e então? ;) beijinhos e...ps: gostei muito!


De ónix a 22 de Fevereiro de 2011 às 21:08
Às vezes o melhor é nem racionalizar...seguir o coração e não a cabeça. As coisas correm melhor assim, penso.
Bjinhos


De Cláudio a 22 de Fevereiro de 2011 às 14:15
Graciosa aurora despertando as palavras adormecidas…

Estou satisfeito por fazer parte da Fábrica, onde encontrei pessoas de coração belo e vivo.


De ónix a 22 de Fevereiro de 2011 às 21:10
Também estou a gostar muito de escrever para a Fábrica... é um desafio. Encontrei pessoas que sabem o que fazem...escrevem bem.


De onda_azul a 23 de Fevereiro de 2011 às 21:04
Olá Antes de mais nada quero dar-te os parabéns pelo texto tão lindo, eu gostei muito, obrigado As cartas escritas à mão, coloca-la com pressa no marco do correio, esperar ansiosamente pela resposta...momentos que se perderam no tempo e dos quais tenho saudades...

Beijinhos


De ónix a 26 de Fevereiro de 2011 às 00:19
Verdade, onda azul
Hoje em dia é só net e falo por mim...também tive de me adaptar. Mas confesso que tenho saudades daquela ansiedade de agarrar numa carta e abri-la desejosa de ler o seu conteúdo.
Beijinhos


De onda_azul a 26 de Fevereiro de 2011 às 18:20
Sim, hoje é só net, mas não tem o mesmo valor nem a mesma intensidade. São coisas que se perdem no tempo e não deveriam...

Beijos


De magnolia a 26 de Fevereiro de 2011 às 09:43
Quase parece não ficção:))))

Um beijinho
Cláudia


De ónix a 26 de Fevereiro de 2011 às 22:24
Quase, quase... mas é ficção. Tenho de passar para ler o teu PS... ainda não o fiz. Falta de tempo.


Comentar post


. Um pouquinho de mim

. Adicionar-me

. 35 seguidores

Obrigada a quem vai passando...

.OS MEUS REPTOS

. Regresso

. O Despertar dos Silêncios

. Back in time

. Um dia...

. Vontades

. Poetas

. Faz

. Escolhas

. Noite

. Aplauso

. Sedução

. Smile

. Why?

. Acerca deste dia

. Words

. Ele e Ela

. Red rose

. Closed

. O livro ou não...

. Eternamente jovem

. Palavras para uma imagem

. Medo

. Histórias ou estórias, qu...

. No feminino

. Nós

. Brinde a ti

. Primavera

. Escreve-me

. Dezanove

. Palavras para uma imagem

. Com Alma

. Para ti

. Era uma vez...

. Virar de página

. Palavras para uma Imagem

. A norte

. Champanhe e palavras

. Angel

. O Filme

. Em silêncio

. Porque me apetece

. Ela

. Danças?

. Entardecendo devagar

. Caminhos

. Years

. Fim de tarde

. Reencontros

. Palavras...somente

. Hoje

.O TEMPO DAS PALAVRAS

. Junho 2019

. Novembro 2014

. Agosto 2014

. Novembro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Fevereiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

Protected by Copyscape Web Plagiarism Check

Imagens retiradas de Google

online